SOLvendo Sentidos – Ivone Alves Sol

O livro de poesia “SOLvendo Sentidos”, de Ivone Alves Sol, publicação de Auto Editor Itabuna – Bahia é um texto onde prevalecem o Soneto, o Rondel, o Haicai. A autora Ivone Alves Sol teve vários privilégios ao editar seu trabalho: Primeiro, o texto do nosso confrade e presidente da Academia de Cultura da Bahia, advogado e escritor, tanto quanto poeta e cantor lírico Benjamim Batista. A própria visão do mesmo mostra a riqueza de “SOLvendo Sentidos”. Afirma que “Ivone Sol carrega no nome a luz dos que brilham. Poetisa aparentemente mansa e tímida, vira um vulcão quando consegue o parto da palavra…” De minha parte acho que todo o livro, todas suas poesias são como que o despertar do sol, alvorada do sentimento, a madrugada que vai se adentrando não só sobre a Terra como também nos corações. A poeta ou poetisa, ela própria define na página 93 o que pensa de poesia, assim como que cantando:

“POESIA
Afeiçoo-me dessa arte que me cria/Que me inventa da lágrima solitária/Que, sem expressão, obsta a homilia/E, diz-me viva, numa tumba minada//Posto que eu seja a arte do que crio/Pois a vida vive à parte – e parte/ Enquanto a olho sem vê-la – arredio/ Da poesia que em meu túmulo nasce// Suscito nos versos que crescem/ E dão corpo à minh’alma esguia/ Visto que neles a vida acontece/ E, eu só existo, quando em poesia.”

Seus Haicais são, em realidade de um sentido do belo, que tanto está faltando hoje não só na literatura como nas artes em geral, pois a beleza não pode nunca ser sem brilho, sem fulgor, sem cintilação.  A beleza desaparece neste mundo chamado de Globalização. Toma-se o feio, o apático, o sem vida, o sem coração como o sentido da vida. O que é profundamente negativo. Ao contrário Ivone Alves Sol em um Haicai canta assim

“Manhã nublada
Em um céu cintilante
Olhos aguados”

Olhos aguados são olhos em que a água penetra benéfico, no amanhecer sempre vemos uma manhã nublada, entretanto, no céu cintilante. Aqui a beleza não só poética mas tem a beleza em si.   Em outro Haicai a poeta, novamente, mostra-nos o sentido estético do tempo:

“Pinta o dia
Com tom amarelo
No azul do céu.”

Há portanto cores, claridade, o amarelo casado com a azul, o dia amando o céu.

Baiana de Valente, município baiano, reside em Salvador e jovem têm uma vida  cheia, sol refletindo a mulher de ação: da Acadêmia de Cultura da Bahia, do Comitê Executivo de Autores, da Câmara Bahiana do Livro, Assessora Geral do Projeto Alma Brasileira de Antologia, professora, locutora, atuou em rádios, passou pela presidência da Associação de Rádios Comunitários da Bahia e, enfim, escritora e poeta. Devo, em consciência afirmar a essa jovem autora, mulher de pensamento e de ação que prossiga na sua marcha conforme o pensamento da entidade que fundei – Círculo de Estudo Pensamento e Ação – CEPA, com 60 anos de permanência: PARA A FRENTE E PARA O ALTO, EIS O CAMINHO

Germano Machado, professor aposentado da UFBA e da Ucsal, fundador do Movimento Cultural Educativo  CEPA, membro das Academias Baiana de Educação, Mater Salvatoris, do Salvador e de Cultura da Bahia.

This entry was posted in Artigos. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *